Imagens mostram ‘estrago’ minutos após rompimento de barragem em MT,

Fotos e vídeos do distrito que pertence a Nossa Senhora do Livramento mostram como a região ficou após o derramamento de lama na manhã desta terça-feira (1º).

MÁRIO ANDREAZZA
DA REDAÇÃO

RepórterMT/PMMT

Clique para ampliar 

Barragem de Cangas, em Nossa Senhora do Livramento (38 km da Capital).

Fotos e vídeos da região do Distrito de Cangas, em Nossa Senhora do Livramento (38 km da Capital), mostram o estrago que o derramamento de lama com rejeitos de minério fez no local após parte da barragem, de responsabilidade da empresa VM Mineração, se romper na manhã desta terça-feira (1º).

Por meio das imagens, registradas por policiais militares que deram apoio à ocorrência, é impressionante ver como um “rio de lama” de textura grossa e densa que escorreu pelas paredes da barragem e se formou na região.

Por sorte, apenas parte da barragem se rompeu e a quantidade de lama derramada não foi o suficiente para chegar à cidade que fica a 32 km.

Mas conforme apurou o , dois funcionários da mineradora que trabalhavam no momento do rompimento foram atingidos pela lama contaminada e levados ao Hospital Municipal, onde um deu entrada com lesões pelo corpo e o outro com tonturas e falta de ar.

A assessoria do hospital informou que os pacientes foram atendidos, medicados e liberados.

De acordo com especialistas, o contato físico ou por ingestão de água contaminada por minérios de ferro, que podem conter a presença de metais pesados como manganês e alumínio, comumente encontrados em rejeitos da exploração de minério, além de chumbo, cromo e arsênio, podem apresentar sintomas como vômitos, coceira, tontura e diarreia, quando devem procuram imediatamente atendimento médico.

Em casos de contaminação mais grave, a vítima pode desenvolver problemas neurológicos. Há estudos inclusive que mostra que a ingestão de alumínio está associada ao Alzheimer. 

Em nota de esclarecimento a empresa VM Mineração informou que após tomar conhecimento do rompimento parcial da barragem comunicou imediatamente aos órgãos competentes para que uma vistoria fosse feita para verificar a situação da barragem e prováveis riscos ainda existentes, que segundo a nota, foi descartado. A VM disse ainda que a adotou com emergência a construção de “diques” para a contenção dos rejeitos, que não atingiu nenhuma área de preservação permanente ou curso d’agua.

Veja nota na íntegra 

A VM MINERAÇÃO vem através desta informar o rompimento parcial da bacia de rejeito composta de material inerte (barragem TB01) ocorrido na data de 01.10.2019. Informa ainda que 02 (dois) funcionários da empresa sofreram apenas escoriações de natureza leve e, após passarem por avaliação médica, já receberam alta. 

A empresa informa que assim que obteve conhecimento do evento, comunicou imediatamente os órgãos responsáveis [ANM – Agência Nacional de Mineração / SEMA – Secretaria Estadual do Meio Ambiente / DEMA – Delegacia Estadual do Meio Ambiente / Defesa Civil / POLITEC], os quais realizaram vistoria in loco no intuito de averiguar a situação da barragem e eventual situação de riscos ainda existentes, o que já foi descartado. 

Além disso, a empresa adotou todas as medidas necessárias e de urgência (construção de diques) para contenção do rejeito, que não atingiu nenhuma área de preservação permanenteou curso d’agua. 

Ademais, informa também que não houve o isolamento de qualquer comunidade da região, ficando prejudicado apenas, de forma restrita, o acesso principal interno da empresa. 

A empresa comunica que possui todas as autorizações e licenças necessárias junto aos órgãos responsáveis para desenvolvimento das suas atividades, operando sempre dentro dalegalidade. 

Por fim, informa que adotará todas as medidas necessárias a fim de colaborar e contribuir com os órgãos competentes.

Veja os vídeos

Galeria de Fotos:
CLIQUE AQUI PARA COMENTARIMPRIMIRVOLTAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *