MPE apura caso de servidora que ‘não tem 5ª série’ e recebe R$ 17 mil na Assembleia.

Jessica Bachega

jessica@gazetadigital.com.br

Chico Ferreira

Chico Ferreira

O Ministério Público Estadual (MPE) investiga a denúncia contra uma servidora da Assembleia Legislativa (ALMT) que ocupa cargo de nível médio, com salário de R$ 17 mil, mas que não teria concluído o ensino fundamental.

Leia também – Acusada de envenenar enteada denunciou avó por calúnia

A denúncia foi feita ao MPE de forma anônima e o promotor de Justiça, Roberto Turin, instaurou o procedimento no dia 3 de setembro.

De acordo com o documento, uma pessoa comunicou que “na Assembleia Legislativa tem uma servidora por nome do M.S.N. que não tem nem a quinta serie do ensino fundamental, sendo que na fica funcional da servidora informa que ela concluiu o ensino médio e exerce o cargo de técnico legislativo do ensino médio, sendo assim recebe algo em torno de R$ 17.000,00”, diz trecho da portaria.

A fim de apurar a suposto dano ao erário e improbidade, o promotor decidiu abrir o inquérito e notificar o presidente da Assembleia, Eduardo Botelho, para que forneça informações sobre a servidora.

O promotor quer saber o cargo e a formação da denunciada, qual qualificação exigida para ocupar o cargo, bem como ato de nomeação da funcionária.

Outro lado

A assessoria da Assembleia foi procurada, mas não atendeu as ligações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *