residencial nico Baracat Cuiabá Após 5 anos de espera, beneficiados recebem chaves.

Viviane Saggin
viviane@gazetadigital.com.br
João Vieira

Após cerca de 5 anos de espera, 360 famílias receberam na manhã desta segunda-feira (17), as chaves das unidades do Residencial Nico Baracat I. O conjunto habitacional, localizado no bairro Coxipó da Ponte, deveria ter sido inaugurado em dezembro de 2018. 
 
Leia também – Cras e parceiras recebem 15 toneladas de alimentos arrecadados na 33ª Corrida do Senhor do Bom Jesus de Cuiabá 300 anos
 
Entre os moradores beneficiados nesta primeira etapa o sentimento é de realização. O aposentado Silas da Silva, 50, é um dos sorteados e aguardava o recebimento das chaves com ansiedade. Ele e a esposa estão morando no Parque Cuiabá em uma casa de aluguel.
 
João Vieira

 
“Foi difícil essa espera, mas estamos muito felizes. Conquistamos nossa casa própria e vamos economizar cerca de R$ 600, já que vamos deixar de pagar aluguel”. 
 
Cristiane de Arruda, 35, auxiliar de cozinha, vai morar com 4 filhos na nova casa. “Estamos morando no Ribeirão do Lipa com a minha mãe. Por enquanto, vou me mudar sozinha até conseguir novas escolas para eles. Mas logo vamos estar todos juntos aqui. É uma grande alegria”. 
 
A atendente de padaria Tatiana Dias Correa, 30, também comemorou o fim da longa espera. “São 5 anos aguardando e finalmente as famílias vão poder se mudar”, afirma a moradora, destacando que para quem paga aluguel, assim como ela, a conquista da casa própria é uma grande vitória. 
 
João Vieira

 
Ela irá se mudar da casa da mãe para o novo lar, em breve, com a filha de 9 anos. “Assinei o contrato no mês passado e já paguei a primeira prestação, no valor de aproximadamente R$ 100”.
 
A prestação depende da renda comprovada de cada família e possui reajuste anual, conforme o salário mínimo. “A casa é linda por dentro e muito bem construída. Forradas, dois quartos, cozinha americana, com todas as instalações prontas. Placa solar para aquecimento de água do banheiro”, ressalta.   
 
O residencial faz parte do programa ‘Minha Casa, Minha Vida , que tem diretrizes próprias e é coordenado pelo Ministério das Cidades e Caixa Econômica Federal, em parceria com a prefeitura de Cuiabá. Os moradores terão 30 dias para ocuparem seus imóveis.
 
Longa espera
O prefeito Emanuel Pinheiro lamentou que a obra tenha se estendido por 7 anos, devido a motivos variados, mas comemorou a entrega da primeira etapa do residencial.
 
“O contrato desse residencial foi assinado em 2012. Passeia a campanha inteira sendo abordado pela população pedindo para que eu intercedesse. E desde quando assumi a prefeitura, as pessoas cobravam a solução”, afirmou o prefeito, destacando que a solução veio a partir do esforço conjunto entre governos federal, estadual e administração municipal.
 
João Vieira

 Prefeito Emanuel Pinheiro conversa com moradores 
“Essa é a realização de um sonho para centenas de famílias, que moravam de favor, de aluguel, se sacrificando, sendo que a sua casa própria estava aqui parada, no tempo e no espaço desde 2012, isso é injustiça e desumanização. Portanto, esse é um momento de alegria e realização”. 
 
Pinheiro destacou ainda que o conjunto habitacional está com toda a infraestrutura necessária, como energia elétrica, água e saneamento entre outras necessidades básicas.
 
“Além disso, o acesso ao local foi duplicado, com asfalto de qualidade, drenagem, meio fio e calçada, como também investimos no paisagismo dos canteiros centrais”.
 
O secretário de Habitação e Regularização Fundiária, Air Praeiro, também comemorou o ‘final feliz da novela do residencial’. Destacou que o atraso se deu por uma série de intercorrências, como falência da primeira construtora que assumiu a obra, atraso nos repasses, além da invasão dos imóveis por alguns beneficiários.
 
João Vieira

 Secretário de Habitação, Air Praeiro 
“Imputamos essa conquista à conjugação dos esforços dos governos federal e estadual e ao município – que é responsável por oferece à população o que ela precisa, como é o caso da entrega de uma política de habitação segura. Também creditamos essa conquista ao deputado federal Emanuel Pinheiro Neto, que esteve com a prefeitura intercedendo junto à Caixa Econômica Federal e da Superintendência do Ministério das Cidades para que tudo fosse resolvido”.
 
O superintendente Regional da Caixa Econômica Federal, Moacyr do Espírito Santo também ressaltou os esforços conjuntos para a finalização da primeira etapa e destacou a valorização do imóvel. 
 
“As prestações variam de R$ 80 a R$ 270 de acordo com a renda familiar. Após 10 anos pagando as prestações rigorosamente em dia, a pessoa recebe a documentação definitiva da casa que possui, atulamente, o valor de marcado de R$ 100 mil”, comentou. O executivo fez um pedido especial aos moradores para que honrem seus compromissos com o pagamento para que sejam ainda mais beneficiados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *