Clean Miranda ex; podemos VG e o Advogado Paulo Lemos declara apoio à reeleição de Emanuel Pinheiro

O advogado Paulo Lemos, referência nacional na defesa dos direitos dos cidadãos por sua atuação – entre outras, como presidente do Colégio de Ouvidorias de Defensorias Públicas do Brasil, entrou na linha de defesa do projeto à reeleição do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), pontuando nas redes sociais um texto em que critica com veemência o adversário, Abílio Júnior (PODE). À reportagem, Paulo Lemos defendeu Emanuel Pinheiro afirmando que o candidato à reeleição cometeu erros em sua vida sim, mas em sua opinião, fez uma gestão melhor do que seus antecessores. “Um ser humano que já cometeu erros no passado, mas temos de reconhecer que Cuiabá durante uma crise jamais vista, se desenvolveu com inclusão social. Emanuel, fez uma gestão muitíssimo melhor do que seus antecessores. Demonstrou amor por Cuiabá e espírito missionário. Nesse sentido, a outra opção, Abílio, seria um desastre governamental, gerencial e, principalmente, humanitário”, avalia. Confira o texto na íntegra: Veja porque Paulo Lemos apoia Emanuel Pinheiro para prefeito. Vamos falar de corrupção? Abílio tentou roubar da própria igreja, segundo um empresário que gravou um vídeo, imagina na prefeitura. Sustentou sua sogra como servidora fantasma, desviando duzentos mil reais do erário público, portanto, reflita como será o aparelhamento das secretarias. Vamos falar em humanidade? Abílio censurou jornalistas. Fez piada da Pandemia, com sacola de supermercado na cabeça, sem a mínima empatia pelas milhares de famílias que perderam um ente querido ou querida para o Coronavírus. Tratou as mulheres como se fossem uma segunda classe de pessoas, totalmente inferiores aos homens. Quando isso só pode ser fruto de preconceito e negar que podem ser quem quiserem, fazerem o que quiserem e estarem onde quiserem, em pé de igualdade, especialmente sem serem vítimas de violência física, moral, espiritual e psicoemocional. Todos somos filhos de uma mãe, que dá e entrega a vida pelos seus filhos e a família. Vamos falar de hipocrisia? Abílio disse que vai concluir o Contorno Leste, todavia, na Câmara, mesmo elogiando o projeto, votou contra. Como confiar em sua palavra? Vamos falar de transparência? Segundo dados do TSE, Emanuel Pinheiro gastou cerca de 5mi até aqui, enquanto Abílio teria gastado menos de R$ 500 mil, nos dois turnos. A diferença não é de gastos, é de transparência entre eles. Ora, só a estrutura de comunicação, publicidade, propaganda e marketing, produção dos programas eleitorais, de TV e Rádio, para despesa de uma majoritária que chegou ao segundo turno na Capital, muito, muitíssimo difícil, quase impossível, custaria apenas cerca de 300mil, como informou à Justiça Eleitoral. Imagine se somar equipe estratégia, tático e operacional das mídias sociais, pesquisas quantitativas e qualitativas, material impresso/gráficas, assessoria jurídica e contábil especializadas, comitê, veículos, combustível, cabos eleitorais. Dá para acreditar, mesmo se todos os serviços e bens estivessem sendo doado em valor estimado de mercado. É zombar da inteligência alheia. É isso que queremos para Cuiabá, propaganda enganosa durante o pleito e terra arrasada no exercício do mandato? Creio que não! Por que trocar o que está dando certo, por uma incógnita que a resposta parece ser estarrecedora? É como pular do precipício, sem testar o paraquedas, sequer conhecer ele de verdade, inclusive desconfiando dele, sem nenhuma prova de segurança e qualidade, para em queda livre puxar a corda e ela arrebentar, implodindo a cidade, como uma bomba. Por essas e outras, no segundo turno, apoio Emanuel Pinheiro. Um ser humano que já cometeu erros no passado, ao invés de alguém com uma plataforma desumanizadora, apenas camuflando a ausência de programa de governo, entre outras coisas piores, com artifícios superficiais, produzidos apenas para agora, sem lastro com a realidade, escondendo quem realmente é e o quê representa. Emanuel, praticou muitos acertos na governança e gestão do Município de Cuiabá, ainda que muita coisa possa melhorar, com a contribuição de uma oposição genuinamente comprometida com mudanças e avanços. É preciso mais quatro anos para concluir o quê começou, em benefício da população, centenas de milhares de cuiabanos, com oposição madura, equilibrada, crítica e programática, na perspectiva dos pesos e contra-pesos, todavia construindo um projeto coletivo, mais progressista e humanitário ainda, para a próxima eleição. Porque com Abílio simplesmente não dá, não tem conversa, será resistência o tempo todo, perdas e andar dez passos para trás, até a Idade Média. No caso de Abílio, assim como jornalistas são atacados, com truculência e censura, mulheres subjugadas, corrupção na igreja e funcionária fantasma, além de ser quase nepotismo, a sogra, insensibilidade com as vítimas da COVID, atuando como o Patati Patatá, oposição não vez nem voz, para busca de consensos possíveis. Será ignorada, patrolada, renegada a todo tipo de assédio destrutivo, jogada ao para um limbo de terra mimada e artilharia pesada. Vamos falar de coisas boas? Voltando a Emanuel Pinheiro, temos de reconhecer que aqui, Cuiabá durante uma crise jamais vista, se desenvolveu com inclusão social durante 4 anos, como a Administração Pública precisa e pode ser e fazer, como foi e fez, e serviu de exemplo para o interior. E pode melhorar, muito, ouvindo as vozes roucas das ruas, o povo, sempre, emancipando a população, trazendo ela para dentro da governança e gestão, com mecanismos de participação popular, entretanto trabalhando arduamente para erradicar a miséria, não deixar ninguém com fome, sem oportunidade de trabalho e os serviços essenciais, como saúde, funcionando em sua plenitude. Serei o primeiro a cobrar! Emanuel Pinheiro cometeu erros em sua vida? Sim! Quem não? Porém, fez uma gestão muitíssimo melhor do que seus antecessores. Demonstrou amor por Cuiabá e espírito missionário. Na minha opinião, merece, sim, um novo mandato, em um tempo muito difícil, que não podemos se dar ao luxo de entregar o futuro na mão de aventureiros, amadores, falsos profetas, fariseus, lobos em pele de cordeiro. Nesse sentido, a outra opção, Abílio, seria um desastre governamental, gerencial e, principalmente, humanitário. Vamos falar de posicionamento? Não fico em cima do muro, tampouco me posiciono por entrelinhas. Prefiro ser franco e objetivo, até mesmo ser considerado paradoxal por quem só vê a realidade de forma binária, do que tergiversar e ser omisso, viver no mundo da fantasia e da ciranda, principalmente quando está em jogo a vida de milhares de cuiabanos nos próximos quatro anos. Assim, serei salvo do 9° andar do inferno, o último, lugar dos traidores, lugar de quem se omite em tempos que exigem coragem, que reprovam esse comportamento turvo, sobretudo de quem tem capital político, eleitoral, simbólico e social, forte. Todo o discurso dessas pessoas, na hipótese de subir no telhado ou ficar observando de camarote, cai por água abaixo, pois o critério da verdade é a prática. Quem não se pronunciar publicamente, de maneira contundente e compreensível para a pessoa mais simples, será cobrado na hora certa, a fatura virá, e demonstrará que seu projeto é pessoal, não coletivo, sem desprendimento e grandeza, sem sangue na veia, somente covardia para dar e vender. Não decidir e botar a cara no vento, neste momento, se omitindo, principalmente quem tem ciência e consciência da conjuntura e o quê está em jogo, é como viajar para Paris nas eleições de 2018. Vamos falar de união? É hora de todos nos unirmos e marcar posição clara e objetiva, entre as duas opções para escolher, Emanuel Pinheiro para vencer, Abílio para ser derrotado nas urnas. Até o presidente do Podemos de Várzea Grande, partido do Abílio,

o Miranda, gravou um vídeo de apoio a Emanuel Pinheiro e pediu material de campanha, sem receber absolutamente nada. Quem sabe faz a hora, não espera acontecer. Vamos pra cima, vencer a guerra. Para isso a contribuição de cada militante e cidadão é imprescindível. Dá-lhe 15 neles!

Quem é Paulo Lemos? Advogado especialista em Direito Público Administrativo, com Ênfase em Planejamento e Improbidade Administrativa, ex-Ouvidor da Defensoria Pública, Presidente do Conselho Nacional das Ouvidorias das Defensorias, Chefe de Gabinete da Secretaria de Segurança Pública, Diretor da União Nacional dos Estudantes, vinculado a redes nacionais de juristas, como a RENAP e o Fórum Justiça, Coautoria em Livro publicado em português e espanhol, Professor Universitário e Educador Popular. ..

RAFAELA MAXIMIANO – DA REDAÇÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *