Casal desempregado e com 3 filhos pequenos precisa de ajuda.

Viviane Saggin

viviane@gazetadigital.com.br

Reprodução

Reprodução

Sensibilizados com a situação precária em que vivem, vizinhos do casal Aparecida e Mozart dos Santos, ambos de 22 anos, iniciaram uma campanha para conseguir doações de alimentos, roupas e móveis para a família – composta ainda por gêmeos de 5 anos e uma menina de três anos. Eles vivem em uma casa do Residencial Jequitibá, do programa “Minha Casa, Minha Vida”, localizado na rodovia Mário Andreazza, em Várzea Grande – empreendimento inacabado e que foi invadido em 2018. 

Leia também – Vizinhos pedem ajuda para idoso que vive em barraco

Reprodução

Família pede ajuda

“A família vem passando necessidades e já não têm o que comer direito, sem gás, sem alimentos ou leite para as crianças. O bebê nascerá em breve e ela não tem nada do enxoval”, lamenta a vizinha Andrya Amado, 26.

Aparecida conta que após ficarem desempregado e sem condições de pagar alugue, o casal se mudou com os filhos para uma das casas do residencial, mas que foram expulsos do imóvel. “Vendo a situação, outra pessoa conseguiu uma casa e permitiu que a gente morasse. Mas não temos muitos móveis e nem roupas para as crianças”. 

A mulher está grávida do quarto filho, como ainda não conseguiu fazer ultrassom, acredita que deva estar entre o sétimo e oitavo mês de gestação. “Consegui uma consulta no posto de saúde, mas não fiz o ultrassom, por isso, não sei exatamente quantos meses. O posto fica distante de onde moramos, então, precisamos pegar ônibus para chegar. O que dificulta ainda mais, porque precisa de dinheiro”. 

O marido declara que vive de bicos e que no último mês trabalhou em uma empresa de entregas, mas por terem sido expulsos da casa onde estavam, precisou falar por cerca de uma semana e teve os dias descontados. “Com isso, o valor que já era pouco ficou ainda menor. Mas conseguimos comprar alguns mantimentos como arroz, feijão e um pouco de carne. Mas não vai durar muito tempo”, lamenta. 

Reprodução

Família pede ajuda

Na casa, os poucos eletrodomésticos que existem estão em péssimo estado, como a geladeira e o fogão. As três crianças dormem todas juntas em uma cama de solteiro.

Para o bebê que está prestes a nascer, a família não tem nenhuma peça de roupa ou berço até o momento. “São os vizinhos que estão ajudando com o que podem, principalmente, comida”, informa Andrya, destacando que toda a ajuda será bem-vinda.

Que quiser ajudar pode entrar em contato com a família pelo telefone (65) 9 9255-6749.

Esta matéria foi produzida através de sugestão de um internauta. Você também pode participar, enviando o pedido ao WhatsApp do Gazeta Digital. Para enviar sugestões, fotos e vídeos o número é (65) 9 9987-2065. Ou no in box do Facebook.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *